A residência em Neurocirurgia, em Serviço Credenciado, tem por objetivo promover a formação de um especialista, capaz de desenvolver e executar programas de assistência, ensino e pesquisa nas áreas de abrangência da neurocirurgia.  Neste manual a palavra residente se aplica a todos médicos em treinamento em Neurocirurgia, credenciados ou não credenciados na CNRM.

 

Concluídas as formalidades de seleção e classificação dos candidatos ao programa de Residência nos serviços credenciados SBN ou SBN/MEC, todos os Residentes deverão ser cadastrados na  SBN, relatando as suas atividades clínicas e cirúrgicas no portal da SBN.  As inscrições devem ser validadas pelo chefe do Serviço ou seu substituto, formador para que seja iniciada a Residência.

Para Residência em Neurocirurgia, são elegíveis médicos diplomados em escolas reconhecidas no país. Em se tratando de candidatos estrangeiros, ou brasileiros diplomados no exterior, devem estar amparados pelos convênios internacionais e/ou pelas leis estabelecidas pelo governo brasileiro.

O especializando classificado para o treinamento deverá assinar um termo de conhecimento do regulamento da residência / Livro do residente (através do site da SBN), onde direitos e deveres estão explicitados.

  • A complementação de conhecimentos sobre o desenvolvimento, a morfologia e a função do Sistema Nervoso.
  • A aquisição de conhecimentos sobre a patologia prpria do sistema nervoso.
  • A habilidade de interrogar e examinar o doente neurológico, assim como realizar e/ ou interpretar os exames complementares específicos da especialidade.
  • A capacidade de discernir, no doente neurológico, problemas relacionados com outros sistemas do organismo.
  • O treinamento neurocirúrgico e o envolvimento na atenção às urgências e emergências traumáticas e não traumáticas.
  • O desenvolvimento de habilidades cirúrgicas relacionadas com a abordagem do sistema nervoso central e periférico.
  • O reconhecimento da importância do trabalho em grupo e a necessidade de relacionamento com outras especialidades.
  • A aquisição de conhecimentos de bioética e suas relações com o erro médico.

 

  • Será realizado em regime de tempo integral, segundo as normas da CNRM.
  • O Residente será bolsista da Instituição onde se executa o programa, ou então de organizações oficiais ou privadas. A SBN recomenda que o valor da bolsa seja aquele estipulado pelo Ministério da Educação (ME) para os programas de residência médica.
  • O treinamento será baseado em tarefas eminentemente práticas, utilizando equipamentos e recursos materiais , de acordo com as normas do protocolo de Credenciamento de Serviços da SBN.
  • É obrigatória a realização de: conferências, aulas, seminários, reuniões de revistas, ou mesmo cursos, a fim de complementar o programa prático.
  • Aconselha-se dedicação de algumas horas em trabalhos experimentais ou de dissecção macro e microscópica do sistema nervoso.
  • O Residente deve ser estimulado a realizar, apresentar e publicar trabalhos científicos em Congressos e Revistas reconhecidas.
  • É autorizada a realização de estágios complementares, conforme regulamento no item 6.
  • Todos os residentes rde cada serviço (R1 a R4) terão de cumprir carga horária em regime de plantão, conforme determinação da chefia do serviço. É recomendável que o R5 também cumpra regime de plantão.

  • O médico em treinamento no programa reconhecido pelo MEC é denominado como Residente (RES). O médico em treinamento no programa exclusivo da SBN é conhecido como especializando (Esp), embora em todo texto seja utilizado o termo residente para ambos.
    • O programa foi estruturado para ter duração obrigatória de 05 (cinco) anos, sendo vetada a formação de sub-especialidades nesta fase.
    • O RESIDENTE será avaliado pela SBN ao final de cada período de um ano, por meio de prova teórica e/ou do curso teórico para o residente, elaborada e aplicada pela Comissão de Ensino da SBN, devendo alcançar a nota mínima de 70 (sessenta). Todo residente que cumprir pelo menos 75% do curso teórico poderá receber um bônus de 10 pontos na nota final. O comparecimento à prova anual é compulsória para todos os médicos em treinamento, sendo que o não alcance dos 60 pontos implica, obrigatoriamente, no comparecimento à prova de recuperação daquele período de treinamento (ano de Residência) no ano letivo seguinte. Portanto, haverá uma prova de recuperação para cada ano de residência, sempre aplicada no ano letivo subsequente.
    • A avaliação anual é um instrumento de orientação do estudo e desenvolvimento do Residente: uma eventual avaliação negativa não o reprova, permitindo que continue em seu curso natural. Todo residente tem direito a realizar prova de recuperação, porém não é permitido que faça mais de duas delas em mesmo momento: em caso de haver duas ou mais, as provas de recuperação obrigatoriamente deverão atender seu tempo cronológico, ou seja , as mais antigas devem ser recuperadas antes.
    • Ao final do programa, o RESIDENTE deverá ter cinco aprovações, uma para cada ano de residência. As aprovações nas provas anuais somarão pontos na avaliação curricular para obtenção do Título de Especialista AMB/SBN.

  • Espera-se que, ao término de cada ano do programa, o Residente tenha adquirido os seguintes conhecimentos:

     

    1º Ano Formação, desenvolvimento e morfologia do Sistema Nervoso (Embriologia)

    Anatomia macroscópica Neurofisiologia I

    Clínica Neurológica I e II

    Neuroradiologia I

    2º Ano Neuropatologia I

    Neurorradiologia  II

    Clínica Neurocirúrgica I

    Técnica Neurocirúrgica I

    Anatomia Microcirúrgica

    3º Ano Neuropatologia II

    Neurorradiologia III

    Bases da Metodologia Científica Clínica Neurocirúrgica II Técnica Neurocirúrgica II Anatomia microcirúrgica Microcirurgia em laboratório

    4º Ano Neuropatologia III Neurorradiologia IV Neurofisiologia II

    Clínica Neurocirúrgica III Técnica Neurocirúrgica III Anatomia microcirúrgica

    Microcirurgia em laboratório

    5º Ano Consolidação de experiência cirúrgica Atuação em áreas especiais: cirurgia de coluna e nervos periféricos, neurocirurgia pediátrica, funcional, vascular, base de crânio, neurooncologia  e neurorradiologia intervencionista

    Microcirurgia em laboratório

    1. Neuropatias periféricas