Marcelo Batista Chioato dos Santos
Coordenador
 Paulo Ronaldo Jubé Ribeiro
Secretário


 

 

Alessandra Augusta Gorgulho Aziz Rassi Neto Luis Renato Garcez de O. Mello Giovani Mendes Ferreira
Almir Plessim de Almeida Ericson Sfreddo Ruy Castro Monteiro da S. Filho Ricardo Santos de Oliveira
Vinicius de Meldau Benites José Carlos Saleme

 

Função

A comissão de Credenciamento de Serviços tem por função primordial a vistoria dos serviços que se candidatam a treinar residentes em neurocirurgia. Nesta vistoria são considerados os aspectos relativos às condições físicas e tecnológicas do hospital, a estrutura do Serviço de Neurocirurgia e sua produção técnico-científica e as condições de ensino propiciadas pelo conjunto Hospital/Serviço de Neurocirurgia.

A Comissão de Credenciamento é assessora do Conselho Deliberativo e todos os relatórios e pareceres das visitas são submetidos ao Conselho para apreciação e aprovação. Nos anos de 2003 e 2004, todos os serviços que treinam residentes foram visitados pela comissão. No decorrer de 2005 e 2006, todos os novos serviços que solicitaram credenciamento serão visitados. Alguns serviços que apresentaram pendências e foram autorizados a treinar residentes, deverão ser re-visitados, após o preenchimento do Formulário de Atualização dos Serviços. Solicitação de Visita de Credenciamento.

Protocolo de Credenciamento de Serviços de Residência em Neurocirurgia

Condições para credenciamento de um serviço de Neurocirurgia como Centro de Treinamento Neurocirúrgico:

1. Equipe neurocirúrgica constituída no mínimo de 5 (cinco) membros titulares da SBN, podendo somente 1 (um) estar associado a mais um programa, desde que não seja o coordenador, chefe ou supervisor do programa de residência.
Os 5 (cinco) membros devem residir na cidade do hospital sede.

2. O serviço credenciado deve ser dirigido por membro titular da SBN.

3. realizar um mínimo de 300 (trezentas) intervenções por ano, para cada residente admitido por ano, excluídas as lesões traumáticas de urgencia.

4. O hospital sede do serviço deve conter todos os requisitos de estrutura física e de pessoal exigida, e nele ser realizado o mínimo de 80% dos procedimentos cirúrgicos.

5. O chefe do serviço deverá apresentar à comissão de credenciamento lista de todas as cirurgias realizadas no ano anterior contendo: Nome, registro hospitalar, data e procedimento cirúrgico realizado. O documento deve ser assinado pelo superintendente, diretor clinico e chefe do serviço.

6. Os procedimentos cirúrgicos devem apresentar aproximadamente a seguinte distribuição:
vascular: 10-15%
tumoral: 20-30%
trauma : 20-30%
espinhal : 20-30%
pediátrica, nervo periférico, funcional e outras.

7. O hospital sede deverá apresentar os seguintes requisitos mínimos de infraestrutura:
Bloco cirúrgico com instalações adequadas
Material neurocirúrgico básico
Bipolar
Conjunto completo para craniotomia
Amplificador de imagem (arco em C) no bloco cirúrgico
Microscópio cirúrgico acoplado a vídeo câmera
Mesa cirúrgica com suporte de cabeça
Centro de tratamento intensivo com monitorização da PIC
Serviço de tomografia computadorizada
Serviço de angiografia cerebral
Acesso a ressonância magnética
Acesso a serviço de patologia
Acesso a serviço de EEG, EMG e líquor

8. O Serviço deve ter a seguinte atividade didática científica básica:
Reunião semanal de discussão dos casos registrada em livro próprio
Reunião científica semanal registrada em livro próprio
Um trabalho publicado por ano em periódico da especialidade, preferencialmente nos Arquivos de Neurocirurgia
Dois trabalhos por ano apresentados em congressos ou simpósios da especialidade, preferencialmente no Congresso da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia.

9. Acesso à atualização bibliográfica:
Computador com internet
Assinatura de 2 revistas nacionais e 2 internacionais de neurocirurgia

10. Cada membro titular da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia só poderá, como coordenador, como preceptor ou como chefe de serviço estar atrelado a apenas um único programa de residência médica credenciado pela SBN.

11. Caso seja necessário, além do hospital principal considerado como o próprio centro de treinamento o serviço poderá contar com hospitais de apoio, com a finalidade explícita de suplementação de ensino e treinamento de residentes e/ou especializados.

12. Permitir treinamento de um só residente e/ou especializando por ano. Caso o serviço tenha condições e interesse em contar com mais de um residente e/ou especializando por ano deverá solicitar autorização especial da Comissão de Credenciamento e ao Conselho Deliberativo.

13. Manutenção de material didático indispensável à instrução do residente e/ou especializando em Neurocirurgia:
Arquivo radiológico
Acesso a peças para o estudo de neuroanatomia

14. Apresentar condições de realizar necropsias.

15. Fazer cumprir a exigência da AMB referentes a um preceptor, com um mínimo de 20 horas semanais dedicadas ao ensino e orientação dos residentes e/ou especializando, ou que, a carga didática dos 4 (quatro) membros especializados perfaça, na semana, esse tempo.

16. Cobrar dos serviços credenciados taxa de visita da comissão de credenciamento, taxa esta estabelecida após a primeira reunião anual do Conselho Deliberativo.

17. A instituição deve oferecer bolsa com remuneração idêntica àquela estipulada pelo MEC ( lei 11381 de 01/12/06 art 1).